domingo, setembro 05, 2010

Refugiado

Refugiado...
Num Mundo distante,
Numa frieza constante,
Num desprezo cortante.

Longe da paixão e da pele...
Da única pele que te dá felicidade.
A pele que se veste de amor,
Para te tocar mais uma vez.

Foge refugiado dos sentimentos,
Impossíveis de esquecer,
Necessários para viver,
Que te matam de prazer.

Foge em busca da felicidade,
Que acreditas estar na partida,
Na esperada mudança de Vida,
Que apenas retrocede a cada passo que dás.

Foge, foge só mais uma vez,
Abraça mais uma mentira,
Canta mais uma cantiga,
Talvez desta, me percas de vez.

Foge, foge doce bandido,
Mas não leves o meu coração contigo,
Pois desta vez está bem seguro ao peito,
Mesmo quando na mágoa me olhas com despeito.

Sem comentários: