Mensagens

Medo da felicidade (Dia 3 - A reviravolta)

Dia 3
Hoje é o dia D!

Estou nervosa, ansiosa, preocupada. É um misto de sentimentos tão grande que, nem sei ao certo, o que vai cá dentro.
Ontem, antes de vir para casa, ainda fui ter com o Jim. Precisava de orientação e de alguém que me chame à razão, principalmente nestas situações, em que não consigo ser racional.
É um facto que, não consigo desligar-me do passado, mesmo que tenha consciência que alguma coisa mudou dentro de mim nos últimos três meses.
Tenho de me mentalizar que nem todos os homens são como o Jake e é neste exercício mental que tenho falhado redondamente. Resta-me ter esperança que o Steve me ajude a esquecer o mal do passado.
Pensando noutras coisas…
Vou ter de aproveitar a minha hora de almoço para fazer umas compras e quando sair do trabalho, tenho de ir a voar até casa, para ter tempo de preparar tudo.
Oito horas depois.
Saio a correr do trabalho, meto-me no carro e acelero até casa.
Ao chegar a casa, preparo o jantar e abro a garrafa de vinho para deixá-lo re…

Medo da felicidade (Dia 2)

Dia 2
Ontem, depois do exorcismo, também conhecido por banho para os comuns mortais, tomei um calmante e fui dormir. Remédio santo. Dormi a noite toda.
O despertador toca todos os dias às 7 da manhã e todos os dias, dou 20 voltas na cama antes de me levantar. Normalmente, é o Jeff Buckley que me tira da cama e hoje não foi exceção. Ao som da “Morning Theft”, levantei-me, ainda dormente do vinho e do desgosto.
Vou ao roupeiro e tenho um vestidinho preto, bem descomprometido, descomplicado e é mesmo este que vou vestir hoje. Não me apetece perder muito tempo com isto. Um rímel e um batom suave. O cabelo vai apanhado. Agarro na mala, nas chaves do carro e nas chaves de casa e vamos embora.
No elevador encontro a querida Sra. Petterson, sempre a cheirar intensamente a rosas e sempre sorridente. Levanto os óculos escuros e forço um sorriso, para não parecer mal educada.
- Bom dia, minha querida. Como vai?
- Estou bem Sra. Petterson e a Sra.? Como está a sua perna? Sente-se melhor?
- Estou m…

Medo da felicidade (Dia 1)

Dia 1
Estava uma noite inquieta. A cidade estava toda iluminada e havia uma mistura de cheiros intensa no ar.
Passei pelo café do costume, mas não te vi. Apenas um amontoado de pessoas e o Jim ao balcão.
Pus a chave na fechadura, mas a porta não queria abrir. Assim que entrei em casa, posei a mala e os sacos das compras e fui apontar no calendário que tenho afixado no frigorífico que, tenho de mandar arranjar a fechadura rapidamente.
Abri uma garrafa de vinho, enchi o copo e fui em direção ao sofá, enquanto ía largando os sapatos. Sentei-me e bebi. Olhei pela janela e a lua estava enorme. Que dia!
No ano passado, por esta altura estava a fechar os maiores e melhores negócios para a empresa e este ano, sou chamada ao escritório da diretora, com um ultimato. Tenho 15 dias para fechar um negócio significativo ou o meu lugar fica disponível.
Tocam à campainha. É o jantar. Domino’s pizza e a dieta vai pela pia abaixo.
Amanhã tenho de ir ao ginásio. Já lá vai uma semana de procrastinação.
Ma…

Teaser #1

(...) O despertador toca todos os dias às 7 da manhã e todos os dias, dou 20 voltas na cama antes de me levantar. Normalmente, é o Jeff Buckley que me tira da cama e hoje não foi exceção. Ao som da “Morning Theft”, levantei-me, ainda dormente do vinho e do desgosto.
Vou ao roupeiro e tenho um vestidinho preto, bem descomprometido, descomplicado e é mesmo este que vou vestir hoje. Não me apetece perder muito tempo com isto. Um rímel e um batom suave. O cabelo vai apanhado. Agarro na mala, nas chaves do carro e nas chaves de casa e vamos embora. (...)

Amigos

Nem todos a quem chamamos amigos, o são na verdade.  A Vida tem uma forma especial de nos ir revelando com quem, na verdade, podemos contar nos bons e nos maus momentos.  Os amigos nem sempre precisam de estar presentes, mas sabemos que podemos contar com eles. Podem não saber de tudo ao pormenor, podem até pouco saber da razão, das tuas lágrimas ou dos teus sorrisos e ainda assim terão um sorriso ou uma lágrima para partilharem contigo. Os amigos agem como amigos! Preocupam-se naturalmente e quando tens um problema ou uma tristeza, proactivamente farão questão de saber que estás bem. É parecido com o instinto maternal. Com os alertas e preocupações, com os ralhetes… o instinto amigo. Um amigo pode ter a própria Vida virada do avesso, mas na hora em que precisares, estará presente com os melhores conselhos para tornar a tua Vida melhor. O verdadeiro amigo, mais do que caminhar lado a lado contigo na Vida, desafia-te. Quer-te ver no topo e sem uma pinga de inveja. Inveja é para os que não …

Re(soluções)

Nada melhor do que começar um novo ano a escrever. Principalmente depois de quase 8 anos de interregno. Parece-me que passou quase uma vida e mais do que isso, parece-me que algo que era tão simples como acordar de manhã, se tornou mais difícil. Tenho as palavras encarceradas em mim! Está na altura de libertá-las e voltar ao ritmo.
Para começar quero desejar-vos um incrível 2018.  Sejam bem vindos ao meu blog que nasceu a 22 de dezembro de 2004 e esteve parado desde 2010, mas quer ganhar agora novo fôlego.
Vamos falar das resoluções de ano novo. Todos os anos por volta desta altura, todos nós ou quase todos, temos sempre resoluções para o novo ano que se inicia, mas na realidade, são poucos os que realmente as coloca em prática ou pelo menos não as vai alterando ao longo dos meses do ano. Basicamente, todos querem ficar "fit", gastam fortunas em ginásio e nunca lá vão. Acabam por cancelar a inscrição passados alguns anos, porque estão sempre na esperança de que "no …

NIHIL

Nada!

Hoje dedico o meu dia a nada.
Somente a nada.
Rien!
Niente!
Nada!
Esse pouco de coisa nenhuma que a Vida me tem dado.
Sei lá...
Nadinha. O vazio. Menos que pouco.

A p=%@ da lágrima solitária que não sabe a nada.
Indolor. Incolor. Desenxabida. Ridícula e minúscula.

Nada de nada!


Boa noite!

Madeira - A catástrofe de Fevereiro de 2010

Imagem
O cenário no arquipélago da Madeira é devastador e esta notícia, que invadiu as nossas casas ontem de manhã deixou-me colada ao sofá, incrédula com as imagens que íam mostrando na televisão. É impressionante a fúria com que as águas desceram a montanha e levaram tudo à frente... casas, carros, pessoas... um mar de destruição aterrador. Comparado com isto, os nossos problemas ficam tão minúsculos que só conseguem voltar a atingir outra dimensão quando os vemos ao microscópio. Falamos de vidas inteiras, de trabalho, de amor, de dedicação e luta, completamente destruidas por algumas horas de chuva intensa. Pensem nisto. Pensem como tudo o que andamos aqui a construir uma vida inteira, pode de um momento para o outro ser-nos tirado, por um tsunami, umas horas de chuva, um terramoto. Os nossos pilares são frágeis e continuarão ser tão frágeis quanto a Natureza quiser, porque é ela quem reina este planeta que habitamos e nós estamos constantemente a esquecer-nos dela e a desrespeitá-la. Temos de…

O Caixote do Lixo Prostituto

Imagem
Esta triste história surgiu de uma viagem na maionese pós-almoço, em mais um dia de trabalho há cerca de 3 anos! Foi uma obra de duas cabeças geniais, a minha e a do meu grande amigo e alma-gémea criativa :)! Essas mentes porcas!! Só usei uma...

Uma parceria Blog IN*Culto / Blog Não Me Moias a Mona!
Temos o prazer de vos apresentar...
'O Caixote do Lixo Prostituto' 3978 CML era um Caixote do Lixo igual a tantos outros, plantado no meio do Cais Do Sodré, à mercê de toda a gente!
Era um Caixote infeliz, estava farto daquela vida, ser abusado por tudo e todos, sem o mínimo de respeito, gratidão ou consideração.
Todas as noites, um bêbado ia falar com ele. Tinham grandes conversas e o 3978 CML tinha oportunidade de desabafar e ouvir os sábios conselhos do bêbado Paulo. Este dizia-lhe que não podia mudar de vida, as pessoas nunca lhe iriam dar o devido valor, pois apesar de dependerem dele, são demasiado egoístas para perceberem a sua importância.
A rotina do 3978 CML continuou durante vá…

Se podias ser feliz? Podias, mas não era a mesma coisa.

A preguiça já chegou à busca pela felicidade ou ao simples gesto de aceitá-la quando ela nos encontra.
Ao gesto de esticar o braço e agarrá-la com a mão.
É angustiante para quem se revê do lado de cá da mão e é revoltante ver-te hesitar desse lado.

Qual é a dúvida? Qual o medo?

A vida não é fácil, o amor também não e a felicidade é feita de momentos fugazes, onde os meus braços encontram os teus.
Esta vontade geral de deixar viver a vidinha sem complicações, sem discussões, sem paixão.

Desistimos de tudo, baixámos os braços. Já não queremos lutar. Não queremos amar. Não queremos sacrificar-nos em prol da nossa cara-metade.
Derrubámos o nosso porto de abrigo. Abdicámos dos nossos sonhos.
Esquecemo-nos do instante. Do incrível instante em que o teu olhar desconhecido queria mais do que eu sabia dar.
Aquele instante, ao final da tarde em que o meu coração batia mais forte ao ver-te partir.
Desligámo-nos dos nossos corações e partimos para longe.

Um lugar onde a felicidade é um copo de cerveja e um …